sábado, setembro 23, 2006

Marcas e Graçolas

Falava há uns dias com o meu caro amigo Carlos Coelho (especialista em criação e gestão de marcas) sobre o estado das marcas em Portugal. E que estado?!
Tinha prometido que, não só não comentaria, como não publicava nada a respeito de duas marcas que têm projectos sérios (e pessoas sérias e competentes à frente) mas que pecam pelos nomes escolhidos.
Falo de dois projectos editoriais recentes: o SOL e o OJE.
À sua maneira e com modelos de negócio específicos (questionáveis) ambos têm um grande problema: fizeram "graçolas" com os nomes das suas marcas.
Porque não usar nomes como Chuva, Amanhã, ou Mais Logo para lançar jornais, revistas, detergentes, ...?
OJE significa O Jornal Económico (tão económico que só custa 0,02cêntimos cada edição!!!!).
Já SOL não significa Somos Os Líderes (embora seja esse o desejo de quem desenvolveu este projecto).
Qualquer das formas, serve apenas este desabafo para nos fazer pensar sobre a importância das marcas e acima de tudo do que elas representam. Não chega uma palavra gira, fácil de memorizar ou rápida de escrever.
Uma marca é uma identidade, uma cara e um valor. Temos de as preservar e acarinhar, evitando que elas se dispersem ou entrem em descrédito.
Graçolas não são boas estratégias para tornar as marcas relevantes.

3 Comments:

Anonymous patricia rodrigues said...

Já me tinha questionado sobre a credibilidade de um jornal com tal nome, “Sol” realmente um nome nada sugestivo já para não falar do logótipo que me faz lembrar um desenho de criança….cheguei a pensar que era um jornal direccionado para o público mais jovem??!!!??

2:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Já me tinha questionado sobre a credibilidade de um jornal com tal nome, “Sol” realmente um nome nada sugestivo já para não falar do logótipo que me faz lembrar um desenho de criança….cheguei a pensar que era um jornal direccionado para o público mais jovem??!!!??

Patricia rodrigues

2:02 da tarde  
Anonymous Samuel Reis said...

Estamos num campo onde a seriedade e credibilidade são fundamentais.
Custa a crer que tais factos continuem a surpreender pela negativa mas as decisões estão tomadas e quer se goste quer não temos que acatar, mas não deixar de avaliar.
O Brand Mannaging é algo cada vez mais essencial para o sucesso das empresas que se sustentam das suas marcas porque no limite que faz a maquina funcionar é a Marca não a empresa, a empresa funciona porque a Marca funciona.
Portanto e para concluir talvez seja necessário um pouco mais de cuidado com aquilo que queremos para as nossas marcas as facilidades são um benefício a curto prazo mais em pouco tempo percebemos que se podem tornar num grande custo.

12:45 da manhã  

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home