quarta-feira, setembro 19, 2007

Não resisti...


...À capacidade criativa de alguns, que me enviaram por e-mail este anúncio, chamado de "Campanha CGD UpGrade".

Gosto muito do seleccionador, mas como líder excedeu-se... pediu desculpa.... Veremos o que sucede depois.

Mas a adaptação do gesto à campanha fica fantástica.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Realmente a adaptação está mto gira, quanto ao gesto....pena não ter acertado!
Ps: Atacador é "cardaço" embora neste caso o "atacador" seja mesmo o Scolari vulgo SOCOLARI!
Bjs
Adelaide

2:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Mesmo sendo líder é humano...e como diz o velho ditado...errar é humano...
O Homem esquece rapidamente as boas acções...

Cmpts

CF

2:54 da tarde  
Blogger CentralArtigos said...

Viva Luis,

De facto o anúncio "Campanha CGD UpGrade" é de não resistir... Está muito bom :-)

Mas sem querer julgar a acção de Scolari e a sua agressão ao jogador sérvio logo após o final do jogo no dia 13 de Setembro de 2007, quero que antes de algúem julgar o Scolari, leia o seguinte facto verdadeiro que Robert Cialdini descreve no seu livro "Influence Science and Practice".

Após a Segunda Guerra Mundial, um soldado volta à sua casa, e logo depois deixou de falar. Todos os exames médicos, não encontram nenhuma justificação para esse problema. Não havia feridas, nenhumas lesões no cérebro, nenhum problema com as suas cordas vocais. Ele podia ler, escrever, compreender uma conversa, e seguir ordens. No entanto ele não podia falar - não com os médicos, não com os amigos, nem mesmo com a sua própria família.

Preplexos e desesperados, os médicos levaram ele para outra cidade para um hospital de veteranos, onde ele ficou 30 anos sem falar, jamais quebrando o seu 'voto de silêncio' e afundando-se numa vida de isolamento social. Até que um dia, a rádio do hospital aconteceu estar a transmitir um jogo de futebel entre a equipa da cidade natal dele e um adversário tradicional. Quando num dado ponto crucial do jogo, o relator do jogo chamou tonto a um jogador da equipa de futebel do veterano de guerra, este saltou da cadeira, foi em direcção à rádio, e falou as suas primeiras palavras em mais de 30 anos: 'Grande parvo!' ele gritou. 'Estás a tentar dar o jogo aos outros?'. Após estas palavras, ele voltou para a sua cadeira e para o seu silêncio que nunca mais voltou a quebrar.

Esta história dá que pensar, não dá?
Se um jogo de futebol, faz com que uma pessoa que não falava à mais de 30 anos, volte a dizer algumas palavras, e logo depois voltar ao seu silêncio eterno, qual é o poder do futebel sobre os adeptos, e sobre os treinadores, e sobre Scolari?

Maria Spínola
http://www.centralartigos.com
"Sem Acção Algo Terrível Acontece... NADA!"
"Com Acção Algo Maravilhoso Acontece... TUDO!"

P.S. Aqui vai a citação original da minha tradução:

"... a World War II soldier who returned to his home in Balkans after the war and shortly thereafter stopped speaking. Medical examinations could find no physical cause of the problem. There was no wound, no brain damage, no vocal impairment. He could read, write, understand a conversation, and follow ordes. Yet he would not talk - not for his doctors, not for his friends, not even for his pleading family"

"Perplexed and exasperated, his doctors moved him to another city and placed him in a veterans 'hospital' where he remained for 30 years, never breaking his self imposed silence and sinking into a life of social isolation. Then one day , a radio in is ward happened to be tuned to a soccer match between his hometown team and a traditional rival. When at a crucial point of play the referee called a foul against a player from the mute veteran's home team, he jumped from his chair, glared at the radio, and spoke his first words in more than three decades: 'You dumb ass!' he cried. 'Are you trying to give them the match?' With that, he returned to his chair and to a silence he never again violated"
( fonte : "Influence Science and Practice" de Robert Cialdini )

12:20 da tarde  

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home