quinta-feira, agosto 16, 2007

Os 11 pontos fortes do direct mail

Índice
IntroduçãoPonto 1 - Quando usar
Ponto 2 - Cuidados a ter
Ponto 3 - 11 pontos fortes
Ponto 4 - Check-list final

Introdução
Tem um produto ou serviço novo para oferecer, sabe quem são os seus clientes e pretende comunicar com eles de uma forma eficaz? Então, talvez deva optar pelo direct mail. Um meio que permite dizer o que interessa a quem interessa através do correio.

Ponto 1 - Quando usar
Cada vez mais, as empresas apostam numa comunicação personalizada com o seu público-alvo. O direct mail surge como o meio por excelência para divulgar, informar, apoiar e vender produtos, serviços, imagem de empresas e até ideias. Pode ser usado com sucesso para:
Promover boas relações, criando uma boa imagem da empresa e, mais do que isso, mantendo actual essa boa imagem;
Divulgar um novo serviço, um novo invento, uma nova indústria, uma nova filial ou um novo produto;
Angariar fundos ou sócios para uma instituição;
Informar sobre o funcionamento de máquinas, cursos ou serviços;
Testar mercados ou produtos, avaliando a viabilidade de um projecto ou a pertinência de um lançamento;
Apoiar uma força de vendas, racionalizando o tempo e reduzindo os custos de cada vendedor, evitando visitas em vão, seleccionando, facilitando e incentivando a compra;
Vender carros, computadores, casas, vestuário, viagens, seguros, livros, discos, cursos, bolos...;
Atingir mercados internacionais, fazendo uma prospecção das oportunidades desses mercados, colocando produtos que ofereçam condições vantajosas de preço, novidade ou exclusividade.


Ponto 2 - Cuidados a ter
Trata-se de fazer chegar a mensagem certa à pessoa certa, com o correio como suporte. Mas, atenção: apesar de muito utilizado pelas PME, este tipo de comunicação não se aplica a todos os casos. E, quando mal utilizado, pode ter consequências desastrosas.Na criação de qualquer campanha de direct mail, o conhecimento dos objectivos da empresa e do público a quem se dirige são, por isso, factores fundamentais. Daí que o primeiro grande cuidado deva ir para a criação de uma base de dados actualizada e eficiente, capaz de minimizar os ruídos na comunicação.Além disso, é importante que saiba que fazer direct mail bem feito não sai barato. Como todos os meios de comunicação directa, tem um custo por contacto maior que outras formas de publicidade. Em compensação, o retorno tende a ser maior.

Ponto 3 - 11 pontos fortes
Ao longo dos tempos, os especialistas compilaram as principais vantagens do direct mail. Conheça de perto os 11 pontos fortes desta ferramenta de marketing.
É selectivo - O direct mail permite seleccionar com total rigor o público-alvo a atingir. Por exemplo: se a sua empresa vende maquinaria agrícola, tem toda a vantagem em dirigir-se exclusivamente aos agricultores, enviando-lhes um mailing específico.
É personalizado - Pode ser facilmente endereçado de forma a realçar o destinatário de um colectivo anónimo. Por exemplo, através do envio de um voucher ou de um cartão em nome próprio.
É pormenorizado - Ao contrário de um anúncio de imprensa ou de televisão, o direct mail permite uma apresentação extremamente pormenorizada. Um catálogo, por exemplo, pode ser o complemento da mensagem transmitida.
É difícil de ignorar - O direct mail dificilmente passa despercebido. Um mailing sobre uma nova unidade hoteleira, bem concebido e enviado pessoalmente aos agentes de viagens, chama a atenção e conserva-se na memória.
É versátil - Quase tudo quanto possa ser distribuído pelo correio pode integrar uma campanha de direct mail. Se quiser divulgar tecidos de decoração, porque não enviar uma ou várias amostras?
É perdurável - Uma mensagem enviada por direct mail permanece sempre à mão, durante todo o tempo que o interessado quiser e sem nunca perder a eficácia. Por exemplo: para apresentar um novo serviço, a sua empresa pode optar por fazê-lo num livro de banda desenhada e oferecê-lo ao cliente.
É planeável - Pode escolher, com toda a precisão, a altura ideal para enviar os seus mailings. Se quiser divulgar um evento que decorra em vários pontos do país, em datas distintas, o direct mail é, sem dúvida, o meio mais indicado.
É de fácil resposta - Para além de toda a informação pertinente, o direct mail pode - e deve - conter um elemento de resposta (cupão ou sobrescrito, RSF, remessa livre, etc.). O destinatário é, assim, convidado à imediata acção de responder.
É mensurável - A publicidade directa origina respostas directas. É sempre possível - e fácil - conhecer a exacta rendibilidade das campanhas.
É aperfeiçoável - Pela análise dos resultados de uma campanha, a seguinte pode ser modificada, melhorada, aperfeiçoada. E o seu planeamento pode ser feito em tempo útil.
É testável - Uma campanha de direct mail admite a realização de testes prévios a várias hipóteses de mailing. Em função dos resultados será então escolhida a que denotar mais eficácia.

Ponto 4 - Check-list final
Se estas vantagens o convenceram, resta-lhe avançar. Não o faça, no entanto, sem ter presentes alguns aspectos, que poderão revelar-se decisivos para a eficácia da campanha em que vai apostar. Certifique-se que o mailing que vai enviar aos seus clientes:
Responde aos objectivos que foram definidos no briefing inicial.
É convincente.
Tem um encadeamento lógico.
Possui imagens que complementam o texto.
Prevê a facilidade das respostas.
Possui um mecanismo é fácil de utilizar e não vai funcionar como entrave (por exemplo, o caso de um número de telefone que ninguém atende).
Apela à urgência da resposta.
Utiliza uma linguagem utilizada correcta.
Foi testado com alguém exterior ao projecto.
Tem uma produção é exequível em termos de timing e orçamento - duas características especialmente relevantes no caso das PME que precisam de mailings com resultados rápidos e custos baixos.

Bibliografia
Alves, Vasco Lopes; "Direct marketing em Portugal"; Texto Editora
Hauser, Regis; "Os mailings no marketing directo"; Edições Cetop
Nash, Edward; "Direct marketing handbook"; McGraw-Hill
Reis, José Luís; "O marketing personalizado e as tecnologias da informação"; Edições Centro Atlântico
Jefkins, Frank; "O marketing directo"; Editorial Presença
Mcdonald, William J.; "Direct marketing and integrated approach"; McGraw-Hill
Vários; "Dicionário dos termos de marketing"; Editora Atlas

Referências
Gabinete de Marketing Directo dos Correios;
http://www.ctt.pt

Autor: PME Negócios

0 Comments:

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home