terça-feira, fevereiro 05, 2008

Shakespeare - Brincar a Sério; Ser Sério a Brincar

Confesso que há bastante tempo que queria ir ver "As obras completas de William Shakespeare em 97 minutos".

Confesso que ainda não me tinha empenhado o suficiente para ir ver a peça. Mas uma prenda de Natal levou-me ao Teatro Estúdio Mário Viegas (2 meses depois!!!) para ver a peça onde o tempo "passou a voar". E voou porque nem dei por ele passar, tal foi a experiência indescritível e fantástica que se viveu.

Perante uma sala cheia (cerca de 120 pessoas), esgotada há várias semanas (numa peça em cena há vários anos - 11), Simão Rubim, João Carracedo e Manuel Mendes, da Companhia Teatral do Chiado ("Reduzida"), mostraram como pode o teatro e a representação ser uma experiência marcante, indescritivel e incrivelmente divertida, tocando os factos da vida de William Shakespeare de forma divertida, hilariante e inigualável.

Valeu a pena os 97 minutos (aproximadamente) que se esteve dentro da sala. Valeram a pena as risadas, os improvisos e as participações.

Num mercado onde se fala de experiências, emoções, diferenciação, vale a pena focar esta peça e este elenco como uma marca única e verdadeiramente diferenciadora.

Não acreditava quando uma amiga minha me disse que já tinha ido ver 10 vezes e não se cansava. Acredito agora, porque se eu não vir 10 vezes, espero ficar lá perto de certeza.

4 Comments:

Blogger Tiago Charneca said...

Esse é talvez um dos melhores espectáculos da companhia de Teatro Do Chiado ;). Um que já me contaram que também é bom (o meu irmão), é o "A BÍBLIA" (também da companhia de chiado). Se bem que toda gente concorda que as obras completas de William Shakespeare é o mais divertido.

Essa peça, mais o "maiores de 18" do Pedro Tochas... São absolutamente imperdíveis.

Cumprimentos,
Tiago Charneca

2:02 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Eu já vi 3 vezes a peça e confesso que dps de ler este post, fiquei com vonatde de voltar!
Da primeira vez contabilizei os minutos da peça e a 1ª parte demorou 90 minutos pelo que achei q a segunda parte só demorava 7 minutos. Qual não é meu espanto qdo demorou mais uns 60/70 minutos fantásticos!
Vão ver que vale bem a pena!!!

10:56 da tarde  
Blogger RRS said...

Sem dúvida, que uma ida ao Teatro enche-nos a alma de alegria, só para começar, pelo facto de convivermos e partilharmos estes momentos com os actores e todo o espírito inerente a uma boa peça. Neste caso, falamos de 97 minutos mais tempo extra. Desde o cheiro que paira no ar vindo dos bastidores e que envolve toda a plateia, como o suspense criado por outros amigos que após terem assistido vezes sem conta a esta esplendorosa peça nos perguntam com muito cuidado: "- Em que fila vais ficar sentada?" e sem se quererem alongar muito mais esboçam um sorriso de alívio quando dizemos que é cá bem atrás e centrado... Mais? Também não adiantam... Ficamos somente com a ideia que optámos por um bom lugar e na expectativa de como irá ser... Todos estes ingredientes juntos, com a especulação criada em torno desta peça, culminam num momento que para mim faz com que a adrenalina chegue ao rubro! As 3 pancadas de Mollier! Fantástico! Que se dê início ao espectáculo, sentem-se todos na cadeira pois, o notável Manuel Mendes do seu 1m60 de altura parece ter ganho asas e transporta-nos para o Mundo do imaginário de Shakespeare junto com os seus admiráveis colegas, João Carracedo e Simão Rubim. Todos, fazem com que os nossos olhos brilhem como os de uma criança na primeira vez, que os pais a levam a algum sítio nada usual para as suas curtas vivências.
Assim que Manuel Mendes lança as mão aos bolsos para falar da Companhia Teatral do Chiado €reduzida€, até que o Simão Rubim lança o seu simpático "borrifo" sobre a plateia, o sorriso, o riso constante e a adrenalina corre pelas veias de quem ama o teatro, vê-o com paixão e só lamenta não poder participar em tão nobre profissão, devido as €exigências€ da vida que fazem com que tudo fique mais reduzido...
Resta-nos interpretarmos a peça, que não nos podemos recusar a representar de forma nenhuma, pois o cash desta é absolutamente fantástico, a dádiva da vida.
Aproveite-mos então!

1:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Neste Congresso, foram abordados vários temas muito relevantes, fazendo uma síntese dos temas que achei importantes , tenho que referir o que o orador Dr. José Alberto Antunes , Director de Marketing da Coca-cola, mencionou a importancia das marcas , o orgulho que elas transmitem, , aposta no marketing local, em produtos relevantes para públicos especificos, mencionou a existencia de 3 fases da comunicação , a plataforma de comunicação de 360º, os publicos internos têm que ser os primeiros a ser informados, e o plano de comunicação do que é o produto em si, tendo a Coca-cola, apresentado sucesso em motivação, liderança por mérito, com atitude da marca, com posicionamento.
Segundo o Dr. Paulo Rego - TMN, o telemóvel é o elemento mais poderoso da comunicação, é o novo instrumento de comunicação que consta na disponibilidade, massificação e democratização, ao publicar muitas marcas , estas marcam a sua personalidade, sendo que para algumas empresas o papel do canal móvel ainda são um acessório de desconfiança, já o Dr. Victor Vasques, no tema a que se refere "os novos territórios da publicidade", há desafios nas marcas, novas tecnologias, novas media, uma integração da comunicação, gerar boas ideias que resultem num bom desafio, foi mencionado também por outro orador o Dr. Hernani Gomes , que o receptor é a mensagem , á uma interactividade, pode-se vender a mensagem semprecisar das tecnologias, mas para o Dr. Pedro Fernandes , para ele conteúdos é tudo aquilo que é comunicação, plataformas de comunicação, comunicar nestas plataformas vai haver mais oportunidades , mais impulso para o mercado.
No tema sobre "Os novos desafios das RP", falou-se da sua história, da sua evolução na sociedade em geral, com os media, vai empreender novos desafios, capacidade de inovação, segundo o Dr. Armandino Geraldes, as RP apresentavam-se sobretudo contactados com a organização de eventos, identificavam-se com os gabinetes de imprensa, mencionou as áreas de actuação dos consultores de comunicação: desenho de estratégias de comunicação, relação com os media, gestão de crise, comunicação interna, estas foram algumas acções que actuam os respectivos consultores, concluí-se que o investimento de clientes tem vindo a aumentar , motivados pela relação mais directa com os seus públicos e como forma de diferenciação da sua concorrência, e que os profissionais de comunicação gostariam d eplanear e elaborar estatégias, elaborar politicas de comunicação interna e externa, micro-estratégias para áreas de responsabilidade social.
Os temas que poderão vir a ser explorados nos futuros congressos, temas que refere a importância da comunicação na Publicidade: Os Novos desafios da Publicidade, a importância das Relações Públicas na sociedade em geral, são alguns dos temas que acho que poderiam vir a ser explorados futuramente.
Eventos destes, é claro que traz mais valia, para o curso e para as várias cadeiras da licenciatura, visto que ao ouvirmos a experiência de profissionais sobre os diversos temas , dá-nos uma ideia para uma entrada para o mercado de trabalho.
Ana Maria Pinto Dias 1º Ano turma N1

11:28 da manhã  

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home