sexta-feira, setembro 18, 2009

Campinas CoolCityHunt Project - Alunos ESAMC

Arrancou hoje com cerca de 300 alunos o Projecto Campinas Cool City Hunt na ESAMC (Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação - parceira do projecto) em Campinas, São Paulo, onde se pretende a identificação de exemplos Cool, caçados pelos alunos da ESAMC dos vários cursos de Graduação nas disciolinas de "Pesqusia de Mercados", "Comportamento do Consumidor", "New Media" de Graduação, MBA e Pos-Graduação que sejam exemplos para o projecto mundial da rede Science of the Time.

Foram focadas as tendências: Experience Economy, a Web 2.0/Give me Interactive Kicks, as Cool Femininity e os Cool Masculinity.

http://www.scienceofthetime.com

SOBRE COOLHUNTING
Os estudantes têm de caçar tudo o que eles pensam que é “cool”. A definição do Science of the Time de “cool” é “atractivo/atraente, inspirador e com potencial de crescimento futuro”.

Não é sobre os produtos, mas sobre a mentalidade por trás deles. Coolhunting procura coisas, produtos, serviços, pessoas, etc. que sejam atraentes e inspiradores com potencial de crescimento futuro. Pode ser tudo, contanto que se consiga explicar porque é que o acha Cool. Ver no site ou especialmente no Top-15 os exemplos para ganhar inspiração.

TENDÊNCIAS “COOL” DE MENTALIDADE
Para dar a esta pesquisa algum sentido, o Campinas Cool City Hunt centra-se sobre QUATRO tendências:

1. Experiência económica “cool”
As pessoas cada vez mais querem pagam para obter mais (uma história, experiência ou qualquer outra coisa que esteja ligada ao produto mas que não seja a essência/carácter do mesmo). Temos como exemplo o grão de café (como descrito na Experiência Económica por Joe Pine): uma simples chávena de café em casa custa-lhe no máximo 30 cents. Um copo de café no café da esquina (um outro ambiente, feito e servido por outra pessoa) custa 3 euros. Mas sempre há um extremo: as pessoas são gratas a tomar um café (que é de facto comparável com o feito em casa) na Piazza San Marco em Roma e estão dispostas a pagar 30 euros para sentar e beber nesse local que é especial. O valor agregado desse produto é a essência da experiência económica. Nós adoramos o marketing do momento memorável. E frenquentemente podemos pagar por isso.

2. Masculinidades cool
Todos já ouviram falar do metrossexual (termo inventado e introduzido internacionalmente por Mark Simpson): um homem que não tem medo de mostrar seu lado feminino: cuida-se bem (ou até usa maquiagem), ousa encher-se de luxo e mostra as suas emoções: ser vulnerável pode ser muito másculo também! Por outro lado os homens também precisam de momentos para ‘voltar às raízes’. Eles vêem as boas coisas sobre isso, mas também perguntam “onde está o cowboy em mim?”. Toda a imagem, marca, programa televisivo que os ajuda a ligarem-se com seu cowboy interno é apreciado (por exemplo, ‘Jack Ass’, que inspirou vários jovens a criar os seus próprios momentos másculos estilo Jack Ass). O homem moderno está claramente em conflito.

3. Feminilidades cool
Mulheres que oscilam entre o cúmulo da "barbificação" e a afirmação social verdadeira. A emancipação fez com que tudo se tornasse possível para a mulher. Os últimos extremos para acentuar ou apoderar a sua femilidade são ou:
1) gabando-se da sua femilidade (com uma ênfase sexual ou talvez mais do que uma ênfase). Inteligência não é importante, mas sim a aparência (que podem se customizados para atingir a perfeição através da cirurgia plástica): barbificação extrema. Ou
2) usando sua inteligência e força feminina para construir uma carreira ou ser socialmente preocupada e sólida. A geração X de mulheres geralmente diz: O único caminho é para cima. Mas eu não quero ser uma vadia poderosa (o tempo inteiro).

4. Web 2.0 (dê-me interação)
A internet desenvolveu-se de um recurso informativo para uma forma de criar (co-criar) informação em conjunto. É interativo e dá-nos diferentes formas de divulgar as nossas identidades, obter experiências e todos os tipos de conhecimentos. Juntos. Pensem em Sellaband que inovou o conceito previamente estabelecido do negócio de troca de música com fãs, que no fim tem mais poder pelo facto de estarem todos unidos (graças à internet) que uma coorporação do outro lado da mesa. Não há limite para a web 2.0. Tudo é possível. E se não o é, você pode torná-lo possível.

Para todos os exemplos e descrições curtas de tendências de mentalidade veja: http://www.scienceofthetime.com/trends

TAREFA
Você tem que identificar e caçar coisas cool. Escolha o melhor exemplo que descreve o que você considera ser “cool” da melhor forma para cada uma das 4 tendências apresentadas.

Lembre-se, “cool” é atraente e inspirador, com potencial de crescimento futuro na própria geração. Os exemplos “cool” têm que ilustrar a tendência, e você tem que escrever “porque é que é cool”.

Isso pode ser um parágrafo pequeno, mas sempre tendo claro:
- O que é/Do que se trata?
- Por que é Cool?
- Ilustre com 2/3 imagens.

Quando encontrar um exemplo de cada:
1. Fala upload em Português ou Inglês em www.scienceofthetime.com do documento
2. Envie o documento para lrasquilha@gmail.com ou luis.rasquilha@ayr-consulting.com

O que é ser cool?
Cool = atractivo, inspirador e com potencial de crescimento futuro

0 Comments:

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home