terça-feira, setembro 27, 2011

Férias cá dentro e a crise terá forçado essa opção.

(Jornal de Negócios, 27/Set/2011)

O presidente da República pediu férias cá dentro e a crise terá forçado essa opção. Os portugueses foram dos europeus que menos viajaram para fora em 2010. Fizeram, antes, "escapadinhas": férias curtas em território nacional, revelam dados do Eurostat.

No dia Europeu do Turismo, o Eurostat publicou hoje um estudo sobre o perfil das férias dos europeus em 2010.

De acordo com o relatório, perto de uma em cada quatro viagens de férias dis europeus foi para o exterior, e metade de todas as viagens de férias foram curtas viagens dentro do país de residência (domésticas).

Portugal aparece em quinto lugar na lista dos países que realizaram mais "escapadinhas", férias curtas e em território nacional.

Quem mais optou por viagens domésticas e curtas foram os residentes na Letónia, 73%,Finlândia, 70%, Dinamarca, 67%, Espanha, 65%, Bulgária e Portugal, ambos com 64%. Já as maiores percentagens de longas viagens domésticas foram registadas na Grécia, com 47%, França, com 39%, Itáliae Polónia, ambos com 35%, e Roménia, com 34%.

Em 2010 os residentes da União Europeia realizaram mil milhões de viagens de férias, das quais mais de três quartos foram viagens dentro do país de residência, e cerca de um quarto foram viagens ao estrangeiro.

Relativamente à duração das viagens, as férias dentro do país de residência foram maioritariamente de curta duração, cerca de 1 a 3 noites, enquanto que as viagens ao estrangeiro foram geralmente mais longas, de quatro noites ou mais.

No total, metade de todas as viagens de férias realizadas pelos residentes da União Europeia em 2010, foram curtas viagens domésticas, enquanto que as longas viagens domésticas representaram cerca de um quarto, revela o comunicado da Eurostat.

Cerca de um quinto de todas as viagens de férias foram longas viagens ao estrangeiro, e 5% foram curtas viagens ao estrangeiro.

As maiores percentagens de viagens domésticas em 2010 observaram-se na Roménia, onde 94% de todas as viagens de férias foram dentro do próprio país, em Espanha, 92%, e na Bulgária e na Grécia, ambas com 91%. Em todos os estados membros se registou uma maior percentagem de curtas viagens domésticas do que longas, à excepção da Grécia.

Em apenas cinco estados membros, metade, ou mais, das viagens de férias realizadas em 2010 foram para o exterior. No Luxemburgo perto de 100% das viagens de férias foram para o estrangeiro.

Na Bélgica, foram cerca de 76%, a Eslovénia registou cerva de 56%, na Holanda 53%, e na Áustria cerca de 50%. A maior percentagem de viagens para o estrangeiro curtas em 2010 foi no Luxemburgo, de 38%, seguido da Eslovénia, com 26%, e Bélgica com 22%.

As viagens longas para o estrangeiro foram lideradas pelo Luxemburgo, 62%, Bélgica, 54%, Holanda, 43%, e Chipre, com 42%.

0 Comments:

Enviar um comentário

Direccione-me

Criar uma hiperligação

<< Home